Macaé News
Cotação
RSS

Petrobras anuncia venda de dois campos maduros de petróleo e divide opiniões

Publicado em 04/10/2020 Editoria: Economia sem comentários Comente! Imprimir


A notificação de interesse deve ser entregue ao Scotiabank, que conduz o processo, até o dia 16 de outubro, informou a petroleira

A notificação de interesse deve ser entregue ao Scotiabank, que conduz o processo, até o dia 16 de outubro, informou a petroleira

A Petrobras anunciou na última semana, a venda dos campos de petróleo Albacora e Albacora Leste, localizados em águas profundas da Bacia de Campos.  As vendas fazem parte do plano de desinvestimento da petroleira, que visa levantar de US$ 20 bilhões a US$ 30 bilhões entre 2020 e 2024, além de seguir a intenção de se desfazer da operação de ativos maduros.

Segundo a Petrobras, potenciais compradores poderão apresentar ofertas para ambos os campos ou separadamente. A notificação de interesse deve ser entregue ao Scotiabank, que conduz o processo, até o dia 16 de outubro, informou a petroleira.

A venda dos campos divide opiniões. Por um lado, o Sindicato dos Petroleiros Norte Fluminense (Sindipetro-NF) é contra a venda e afirma que haverá impactos negativos para a região. Por outro lado, a Rede Petro, que é uma organização sem fins lucrativos com o objetivo de promover, articular e fomentar a geração de negócios entre os atores da cadeia produtiva de petróleo, gás e energia da Bacia de Campos, afirma que o resultado pode ser positivo.

Segundo o Sindipetro-NF, com a venda desses dois campos altamente produtivos cerca de 1.500 trabalhadores diretos e indiretos serão impactados de alguma forma: com transferência de base ou com a perda de seus empregos. O sindicato listou que a P-50, por exemplo, tem cerca de 300 trabalhadores próprios da Petrobras na plataforma, além de cerca de 1,2 mil trabalhadores terceirizados.

“Questiono o que será da vida desses trabalhadores e de suas famílias se essa venda for efetivada. Chegamos em um momento em que não temos mais saída e precisamos lutar em defesa dos nossos empregos e do nosso futuro”, afirmou o coordenador do Sindipetro-NF, Tezeu Bezerra.

Por outro lado, o diretor da Dinamus e coordenador da Rede Petro-Bacia de Campos, Glauco Nader, explicou o contrário, ou seja, a venda desses campos traria mais chances de desenvolvimento econômico para a região.

"Esses campos seriam abandonados pela Petrobras. Pela estratégia empresarial da empresa, não faz mais sentido ter um campo que produz uma quantidade pequena de barris por dia, porque o foco dela está nos campos do pré-sal, que tem uma produção muito mais elevada. Ao se desfazer desses campos, é possível que outras empresas venham para prorrogar o tempo de atividade desses campos, aumentando a possibilidade de renda e emprego. Então, isso que é a grande vantagem", frisou Glauco.
 

› FONTE: RJ News


sem comentários

Deixe o seu comentário