Macaé News
Cotação
RSS

Capsi auxilia na melhora do Autismo em Macaé

Publicado em 04/04/2014 Editoria: Educação sem comentários Comente! Imprimir


Para lembrar o Dia Mundial do Autismo (dois de abril), o Centro de Atenção Psicossocial Infantil (Capsi) realizou na manhã desta sexta-feira (4), evento com pais e responsáveis por crianças autistas. O encontro ocorreu na sede do Capsi, na Rua Francisco Portela 239, e contou com duas palestrantes: a psicóloga Iasmin Garcia Morinigo e a psiquiatra Michele Marelli Scheles.

Atualmente, o Capsi atende um total de 115 crianças e adolescentes portadores de transtornos mentais severos e persistentes. “Não oferecemos atendimento ambulatorial, mas em grupos. A nossa equipe multidisciplinar proporciona ao nosso público alvo oficinas, em momentos em que todos participam. Inclusive, oferecemos orientações individuais”, conta Iasmin. Ela pontua que o objetivo maior é a inserção dessas crianças e adolescentes na sociedade. "Muitas não falam, não interagem, mas com nosso trabalho estão se desenvolvendo”, comenta.

Já a psiquiatra desse órgão público diz que quanto mais cedo for descoberta da doença melhor para efetuar tratamento que dê resultado. “Isso promove o melhor aprendizado delas. É importante informar sobre o autismo, assim as pessoas buscarão orientação mais adequada em tempo ideal”, explicou.

A equipe multidisciplinar que atende no Centro de Atenção Psicossocial Infantil é composta por psicólogo, psiquiatra, assistente social, enfermeiro, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional e músico terapeuta.

Com esperança de dias melhores

Para a dona-de-casa Sandra da Conceição Lopes, mãe de Bryan Lopes de Souza, de sete anos, o tratamento para o autismo de seu filho no Capsi é fundamental para a melhora do menino. “Ele começou a interagir mais, a ter mais socialização. Antes meu filho não brincava. Isso se deve ao acompanhamento que ele tem com a equipe daqui”, ressalta.

Por sua vez, a dona-de-casa Célia Xavier, mãe de Samuel José Xavier Alves da Silva, de dois anos e 11 meses, lembra que devido ao autismo seu filho não fala. “Antes de ser tratado aqui, ele tinha muitas crises. Agora, pelo menos, ele está mais feliz, até sorri, se sente bem no Capsi. Eu como mãe pude constatar que meu filho está diferente depois que ingressou aqui”, testemunha.

Autismo

O autismo é fundamentalmente uma forma particular de se situar no mundo e, portanto, de se construir uma realidade para si mesmo. Associado ou não a causas orgânicas, o autismo é reconhecível pelos sintomas que impedem ou dificultam seriamente o processo de entrada na linguagem para uma criança, a comunicação e o laço social.

As características da doença são: modo de agir caracterizado pela repetição verbal ou motora; comportamento automático desprendido de uma realidade palpável, repetição involuntária de frases ou palavras, ausência de linguagem, falam consigo mesmos, auto agressividade, insensibilidade à dor ou a falta de sensação de perigo, isolamento da criança ou do adulto em relação ao mundo que o rodeia e sua tendência a bastar-se a si mesmo.

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário

Digite as palavras abaixo: